Páginas

às

Confrontar é falta de amor?

(1 comentários)
Confrontar é falta de amor?


Tornou-se comum evangélicos acusarem de falta de amor outros evangélicos que tomam posicionamentos firmes em questões éticas, doutrinárias e práticas. A discussão, o confronto e a exposição das posições de outros são consideradas como falta de amor.

É possível que no calor de uma argumentação, durante um debate, saiam palavras ou frases que poderiam ter sido ditas ou escritas de uma outra forma. A sabedoria reside em conhecer “o tempo e o modo” de dizer as coisas (Eclesiastes 8:5). Todos nós já experimentamos a frustração de descobrir que nem sempre conseguimos dizer as coisas da melhor maneira.

às

Por que Uzá morreu ao tocar na Arca?

(2 comentários)
Por que Uzá morreu ao tocar na Arca?

A história de Uzá e a Arca da Aliança é encontrada em 2 Samuel 6:1-7 e 1 Crônicas 13:9-12. A arca estava sendo transportada, os bois que puxavam a arca tropeçaram, e um levita chamado Uzá segurou a arca. A ira de Deus se acendeu contra Uzá, e Deus o feriu e ele morreu. O castigo de Uzá parece ser extremo para o que poderíamos considerar uma boa ação. Entretanto, existem razões pelas quais Deus tomou uma ação tão severa.

às

Porta dos Fundos: Humor, Crime e Impunidade

(4 comentários)
Porta dos Fundos: Humor, Crime e Impunidade



Como já diria o próprio personagem do Diabo numa certa peça teatral de comédia: “Tudo tem limite!”. E dessa vez chegou a hora para o Porta dos Fundos. Não é de hoje que esse canal faz questão de debochar e insultar, das mais diversas formas, as religiões – em especial o Cristianismo. Aliás, a temática da religião deve render um excelente retorno em visualizações, uma vez que cerca de 10% dos vídeos do canal se deleitam em injuriar símbolos e práticas religiosas [1].

às

Ele se tornou pobre

(1 comentários)
Ele se tornou pobre


Percebemos agora o significado para o Filho de Deus de esvaziar-se e tornar-se pobre. Significa deixar de lado a glória (a kenôsis real); o retraimento voluntário do poder; a aceitação de dificuldades, isolamento, maus-tratos, malignidade, incompreensão; e finalmente a morte, envolvendo uma agonia tão grande — mais espiritual que física — que sua mente quase entrou em colapso ao prospectá-la (v. Lc 12:50 e a narrativa do Getsêmani). Isso significou o amor mais sublime já sentido pelos indignos seres humanos, que puderam tornar-se ricos por meio da pobreza dele.

às

Sobre a felicidade de ser simples

(2 comentários)
Sobre a felicidade de ser simples


Tenho poucas lembranças da minha infância, a mais viva delas, com certeza, era de quando minha mãe me trazia do colégio e ao chegarmos em casa ele preparava uma xícara aconchegante e quentinha de caldo de feijão com um pouco de farinha (aqui no Ceará nós chamamos isso de pirão). Aquilo era tão maravilhosamente bom que é impossível descrever a sensação que eu tinha ao beber aquilo. Esta boba e aparentemente inútil memória sempre me faz lembrar o quanto é simples ser feliz.

às

Caio Fábio como "chave hermenêutica": trocando sistemática por idolatria

(1 comentários)
Caio Fábio como "chave hermenêutica": trocando sistemática por idolatria

Caio Fábio é como aquelas “velas mágicas” que algumas vezes vemos em aniversários: é preciso assoprar um milhão de vezes até que ela, definitivamente, se apague. Vez por outra a figura deste homem ressurge das profundezas da Internet para trazer alguma palavra herética. Os “ensinamentos” levantados por ele nunca são exatamente novidade ou surpresa. Não é nada além do velho e batido liberalismo teológico, e é incrível o fato de ele continuar angariando mais e mais devotos para representarem o seu sistema religioso.

às

Fui no restaurante ouvir uma boa música... Hã?!

(2 comentários)
Fui no restaurante ouvir uma boa música... Hã?!


Imagine a cena: você chega para um amigo seu e começa a falar "Cara, você não vai acreditar, eu conheci um restaurante fantástico! A música de lá é maravilhosa! Tem um casal que faz um dueto ao vivo excepcional! E os garçons, então? Meu irmão, todos eles são tão amigáveis, te cumprimentam quando você entra e quando você sai, sempre com um lindo e amigável sorriso no rosto! Dá gosto de estar ali!".

Bom... Além de achar que você é totalmente esquizofrênico, é provável que ele faça aquela cara de "Oi?" e lhe pergunte em seguida "Mas cara, e a comida, é boa?", ao passo que você responde "Ahhh! Isso só você indo lá pra poder conferir!"

De boa, se depois dessa ele não te der uma bicuda no meio da pleura e sair correndo com medo, você já tá no lucro.

às

Deus quer que todos sejamos prósperos financeiramente?

(1 comentários)
Deus quer que sejamos prósperos financeiramente?


A prosperidade financeira obedece a normas, regras e métodos estabelecidos. Por outro lado, da perspectiva bíblica, a prosperidade é um dom de Deus. É ele quem concede saúde, oportunidades, inteligência, e tudo o mais que é necessário para o sucesso financeiro. E isso, sem distinção de pessoas quanto ao que crêem e quanto ao que contribuem financeiramente para as comunidades às quais pertencem. Deus faz com que a chuva caia e o sol nasça para todos, justos e injustos, crentes e descrentes, conforme Jesus ensinou (Mateus 5:45). Não é possível, de acordo com a tradição reformada, estabelecer uma relação constante de causa e efeito entre contribuições, pagamento de dízimos e ofertas e mesmo a religiosidade, com a prosperidade financeira. Várias passagens da Bíblia ensinam os crentes a não terem inveja dos ímpios que prosperam, pois cedo ou tarde haverão de ser punidos por suas impiedades, aqui ou no mundo vindouro.

às

A sociedade pornográfica e o caminho da Santidade

(1 comentários)
A sociedade pornográfica e o caminho da Santidade


Podem aparecer tantos "machões" quantos forem para comentar o contrário, mas a pornogarafia é um subproduto da mídia e da sociedade de um modo geral, um produto rejeitado e que mesmo aqueles que consideram um assunto normal prefere evitá-lo pela própria vergonha inerente ao assunto.

E não é uma vergonha derivada de um falso moralismo, mas uma vergonha natural, pois a nudez em si é íntima e discreta, e ninguém, por mais despudorado que seja, deseja ver fotos das suas "partes baixas" espalhadas pelos postes da cidade. E sabe o porquê? Porque a pornografia sempre gera o sofrimento de um dos lados
sempre sai perdendo: seja o lado que se expõe, seja o lado que é exposto (se é que há lá alguma diferença real dentre estes dois significados).

Não importa se a atriz pornô recebeu uma bela grana para fazer o que fez. Quanto dinheiro vale a sua moral e o seu pudor?

às

A cultura, a mentira, e a Rocha

(1 comentários)
A cultura, a mentira, e a Rocha



Atualmente (será?) as demandas sociais minoritárias têm surgido e tomado espaço na "democracia" de um modo cada vez mais avassalador. Para os estudantes de Direito de plantão isso não é novidade, Alexis de Tocqueville  já falava sobre isso lá em 1850: "a democracia corre o risco de se transformar em sua própria antítese, comprometendo seu próprio sistema de duas maneiras: pela atuação de seus agentes e pelo seu conteúdo individualista especificamente excludente." [1]

E afinal não é isso o que temos vivido? Campanhas pelo aborto, união homoafetiva, "marcha das vadias", liberdade (ou libertinagem) da sexualidade, neo-liberalismo político, etc. As pessoas compram a ideia de que todas essas minorias individualistas são fruto da "evolução social" e o pensamento da coletividade se perde em meio à falsa ideia do "bem comum". Os alemães também compraram o nazismo por este mesmo raciocínio.

às

"Não tenho ninguém como Timóteo"

(1 comentários)
"Não tenho ninguém como Timóteo"


"não tenho ninguém como ele, que tenha interesse sincero pelo bem-estar de vocês, pois todos buscam os seus próprios interesses e não os de Jesus Cristo."
Filipenses 2:20-21

É com esse rasgado e sincero elogio que Paulo, o apóstolo, que esteve encarcerado e impossibilitado de ir a Filipos, relata sobre a escolha e o envio de Timóteo aos Filipenses. Um elogio como esse, vindo de um dos maiores sofredores da causa do Evangelho no Novo Testamento (2 Coríntios 11.24-28), não pode nos passar desapercebido.

Ou melhor: não deveria.
 

às

O Calvinista - Um poema por John Piper

(1 comentários)
O Calvinista - Um poema por John Piper


"O Calvinista" é um poema escrito por John Piper e, neste vídeo, narrado por nada mais nada menos do que: R.C. Sproul, D.A. Carson, Alistair Begg, Thabiti Anyabwile, Matt Chandler, Sinclair Ferguson e, é claro, o próprio John Piper.

Neste poema Piper sintetiza a vida sob a cosmovisão Calvinista: reconhecer a glória de Deus até nas entrelinhas dos momentos mais banais.

às

Deus "visita os pecados dos pais nos filhos"?

(1 comentários)
Deus "visita os pecados dos pais nos filhos"?


Às vezes, os críticos dizem que as primeiras partes da Bíblia (Êxodo 20:5-6; 34:6-7, Números 14:18) retratam Deus como aquele que “visita a iniquidade dos pais nos filhos”, enquanto partes posteriores da Bíblia (Jeremias 31:29, Ezequiel 18:2; Jó 21:19) rejeita isso e ensina que “os filhos [não serão] condenados à morte por seu pais.” Mas esta maneira evolutiva de pensar sobre o desenvolvimento da doutrina bíblica não se encaixa nos textos. Há três problemas com este ponto de vista.